Diversidade Cultural. Cidadania. Cultura Popular. Semiótica e Interpretação.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Rituais da Vida e Ritos do Cotidiano

Rituais da vida da gente


A vida é cheia de rituais. Essa afirmação é lugar comum na antropologia. Entretanto, importa como reflexão e comentário quando se aplica a vida prática, especialmente no que se refere as tarefas do dia-a-dia.
Os rituais de caráter social são aqueles que marcam um momento de transição na vida de uma pessoa. Assinalam a passagem da vida de solteiro para a vida de casado, por exemplo, através do ritual do casamento.
Assim também operam no nascimento, no batismo, na formatura, no velório e enterro, os chamados ritos fúnebres, bem como as bancas de pós graduação. O ritual de uma banca de mestrado ou doutorado tem também essa função de marcar a passagem de uma pesoa para um novo status, um grau de formação e capacitação profissional. Tudo são ritos. Separam o antes e o depois, estabelecendo distinções muitas vezes entre estilos de vida.

Para além da análise da funcionalidade, o ritual tem importância simbólica na medida em que atua no processo de elaboração e assimilação de uma realidade subjetiva, mas com implicações de ordem prática, uma vez que envolve valores e posturas, na forma de se ver e se colocar no mundo.

Pequenos ritos cotidianos


São aquelas pequenas coisas que fazemos todos os dias. Começar ou assumir uma nova tarefa implica em estabelecer pequenos ritos que marcam significados e estabelecem um corte, ao fixar um momento.
Escovar os dentes pode ser um rito? Depende.
Não é o simples ato da repetição que transforma uma sequência de ações num ritual.
É preciso que o ato seja revestido de um sentido, um significado que o ultrapassa.
Por exemplo, se eu escovo os meus dentes depois das refeições para que eles fiquem limpos, o ato de escovar os dentes nnao significa mais nada, além do fato de que sua praticante é uma pessoa asseada.
Por outro lado, se faço com que a minha filha escove os dentes depois do banho, a noite, antes de ir dormir, isso pode se tornar um ritual, uma vez que ao desempenhar as tarefas ela já esta percebendo que se aproxima a hora de dormir, pois já repetimos essa sequência muitas vezes e ela acaba sempre no mesmo lugar. Nesse caso, escovar os dentes ganha um sentido a mais, por sinalizar parte da transição entre um momento de atividade do dia, para um momento de repouso noturno.
Sinaliza a passagem, recebe um significado a mais, para além da funcionalidade prática de manter os dentes limpos.

A importância dos ritos esta nos significados que eles contém e sutilmente implicam. Insinuam, sugerem, mas não revelam, são como o significado eloquente do silêncio.

Um comentário:

Arye disse...

e o ritual envolve uma certa tensão de aceitação, não é mesmo?... é uma prova... os rituais, como vc diz, necessariamente são imbuídos de significados... e a "passagem" não é fácil... existe um tribunal que aprova o mérito do iniciado... no entanto, o ritual é o que garante a conservação da tradição (o elo da memória com o passado)... e affff, minha amiga, nossas conquistas são sempre fruto de muitas batalhas... batalhas intelectuais de pontos de vista diferentes... no meu caso: como tornar visível intelectual e cientificamente o que é por natureza oculto?... ningúem mandou querer falar da história das ciências ocultas :)
Final feliz, mas não sem muito "suor e lágrimas" como disseram os professores da sua banca... O doutorado vai ter que esperar eu amadurecer meu intelecto... por enquanto quero apenas me deliciar com a leitura dos pensamentos sedutoramente inteleigente dos meus amigos :)
bj bj bj e saudades...